28 de set de 2009

Inserindo Elementos numa Superfície



Bom, dando sequencia ao que foi apresentado pelo Ernesto no post anterior, mostrarei como fiz para adicionar objetos repetidos ao longo da fachada do prédio:

Configuração do Pvimento Tipo

Infelizmente não obtive muito sucesso tentando fazer do modo mais simples, ou seja conectando a treliça diretamente em toda a superfície da fachada (todos os pavimentos como um elemento só). Simplesmente quando fazia por esse jeito meu computador travava. Como solução fiz da seguinte maneira: Transformei a fachada do prédio em superfície de Rhino (bake), depois adicionei as treliças individualemnete em cada pavimento. Considerando que a prédio tinha 51 pavimentos, eu diria que foi um processo um tanto trabalhoso. O lado positivo disso é que ao menos eu obtive um controle individual de espessura e raio das treliças por pavimento.

Para melhor compreensão deste processo, segue link do videotutorial de David Fano.

Qualquer sugestão ou idéia que possa melhorar esse método ou dar novas possibildades para a parametrização desse modelo será muito bem vinda.

Link do arquivo ghx.


Configuração total do arquivo

15 de set de 2009

Transformações I: Translação, Rotação, Escala

Logo de uma primeira sessão acerca da modelagem de NURBS, o design paramétrico-associativo e o Versioning, a segunda sessão introduz as noções dos algoritmos, o entorno do Grasshopper e a implementação da estratégia construtiva de modelagem (de pontos a curvas a superfícies). O primeiro passo avançado é o das transformações estendidas com o uso do componente da série. E lembrando a didática de David Fano, a gente fez uma torre paramétrica.

Neste exercício, introduzimos uma curva plana fechada que é trasladada múltiplas vezes por um vetor vertical cuja amplitude é um parâmetro para o pé direito do edifício e logo aplicado com o componente da série para ter as múltiplas translações. Numa segunda parte, as curvas repetidas como andares são rotadas individualmente e logo escaladas. A última parte do exercício gera as superfícies dos andares e a fachada, usando componentes de superfícies planas, defasado de curvas, divisão de curvas, geração de linhas com pontos transformados e a superfície de transição chamada de Loft.

Este é o primeiro de uma série de post que vão ser publicados para documentar alguns dos conteúdos estudados no workshop, com a intenção de fomentar o interesse, a prática e a discussão. Os comentários são bem-vindos.

Postagens recentes